A Ciência do Comportamento


Antes de explicar o que é “Ciência do Comportamento” precisamos definir o próprio conceito de Ciência, haja vista a variedade de saberes que se autodeclaram científicos.

Tomemos como exemplo o Espiritismo, ele foi descrito como “uma ciência que trata da natureza, da origem e do destino dos Espíritos, e de suas relações com o mundo corporal”. A psicanálise, criada pelo médico, Sigmund Freud, foi descrita como “ciência do psiquismo humano”. Tanto os termos “espíritos” quanto “psiquismo” têm a mesma origem na sigla “Psy”. Ela possui varias explicações, dentre as quais traduz a ideia de: alma, espírito, mente, psiquismo, cérebro, comportamento, personalidade.

O estudo de algo tão amplo torna o conhecimento mais generalista e menos preciso. Esse é um fator relevante e contrário a busca de “previsão e controle”, critério fundamental buscado pelas ciências naturais.

São pontos importantes do conceito de Ciência:

1) Nenhuma ciência é um produto acabado, realizado por uma única pessoa, ou por um grupo específico. Um saber não se torna ciência porque seu criador o definiu como ciência. A ciência é um conhecimento colaborativo e, como tal, necessitava ser avaliado – criteriosa e criticamente – pela comunidade de pesquisadores independentes, mundo afora. Isso porque podem haver interesses econômicos e financeiros, e até de egos inflamados, por trás da vontade de se estabelecer algo como científico.

2) Mesmo os saberes detentores de corpo de conhecimentos metodologicamente organizados não se tornam ciência por esse motivo. A Astrologia é um exemplo de saber com corpo de conhecimento organizado, se mantém viva há séculos, mas não tem embasamento (previsão e controle) para o reconhecimento científico.

Obter reconhecimento científico significa, detre outras coisas, deter poder de atuação como prova na Justiça, é o caso das análises de DNA, da Biologia; dos testes de balística, da Física; dos exames toxicológicos, da química; entre outros.

Saberes como Psicanálise, Espiritismo e Astrologia não figuram no campo das Ciências Naturais, mas no campo das Ciências Humanas – área de base teórica que estuda a produção do conhecimento humano. Inclui também a História, a Antropologia, a Linguística, entre outras disciplinas metodologicamente organizadas. Porém, pecam nos critérios de previsão e controle exigidos na validação científica das ciências naturais, daí serem consideras ciências reflexivas e discursivas, mas não ciências naturais e experimentais.

“Ciência é, antes de tudo, um conjunto de atitudes. É uma disposição para lidar com fatos e não com o que foi dito por alguém a respeito deles.” (Skinner, 1953).


About Leon Vasconcelos

é psicólogo e mestre em saúde coletiva. A sua vida acadêmica teve início na área das ciências biológicas, participou de pesquisas experimentais em neurofarmacologia molecular, largou o mestrado em fisiologia para se dedicar à prática da psicologia clínica. Suas áreas de atuação são: a análise do comportamento, as finanças comportamentais e a clínica comportamental.