Leon Vasconcelos/ Julho 1, 2011/ Publicações

Uma das ferramentas passíveis de uso na terapia é a hipnose clínica. Ela fornece um conjunto procedimentos coadjuvantes no tratamento de doenças e na promoção da saúde. A hipnose pode ser muito útil quando é necessária a modificação das respostas fisiológicas, os comportamentos involuntários e alguns sintomas.

É um tema com grande quantidade de trabalhos científicos publicados – mais de cem mil – relatando resultados positivos em diversas áreas da saúde (Nash, 2001). A recomendada como coadjuvante no tratamento de doenças orgânicas e psicossomáticas, mas não é uma terapia. As suas principais desvantagens são os mitos de cura rápida sem que seja necessário terapia; ou os relacionados a causas místico-religioso, ou energéticas; e por ultimo, o mito do “controle da mente”, e do “dormir e não acordar”, entre outras dezenas, promovidos pelo cinema.

Não há nada de diferente na hipnose, é apenas um procedimento no qual o clínico consegue obter maior responsividade do comportamento do cliente às suas instruções de mudanças perceptivas (veja vídeo).

Numa avaliação comparando várias terapias, e o uso coadjuvante da hipnose a hipnose+terapia comportamental tiveram a maior taxa de recuperação em um curto prazo (Barrios,1970):

Psicanálise: 38% de recuperação, após 600 sessões (11anos e meio);
Terapia Comportamental: 72% de recuperação, após 22 sessões (6 meses); ­
Hipnoterapia: 93% de recuperação, após 6 sessões (1 mês e meio).

Mas vale lembrar, a hipnose sozinha não é terapia e se usada de maneira leiga pode até piorar quadros de saúde. Os efeitos positivos só são atingidos quando planejados na psicoterapia.

Isoladamente a hipnose só se destaca em usos pontuais, a maioria em ambiente clínico hospitalar, como por exemplo: pequenas cirurgias, exames de sangue, ressonância e tomografias, no tratamento dentário, tratamento de ferimentos e queimaduras.

O Dr. Leon Vasconcelos Lopes foi pioneiro na utilização da hipnoterapia, no Ceará.  Há 15 anos demonstra e ensina a hipnoterapia para profissionais da saúde. Foi professor do ensino superior e de pós-graduação em psicologia e  atualmente se dedica exclusivamente à atuação clínica.

Atende em Fortaleza, no Clínica Ativa, Rua Carlos Vasconcelos, próximo ao Parque Recreio.

Principais Demandas:

– Problemas emocionais: ansiedade, tensão, angústia, tristeza, medos e  fobias , expectativas negativas, pânico, falta de motivação, medo.
– Problemas psicossomáticos: gastrite nervosa, asma e alergias, síndrome do cólon irritável, problemas de pele, resfriados recorrentes, enxaqueca, fibromialgia, dores crônicas.
– Problema Comportamentais: compulsões, transtorno do pânico, disfunções sexuais, dificuldades de socialização.
– Desenvolvimento de autoconhecimento, Psicoterapia para médicos, psicólogos, estudantes de psicologia e profissionais da saúde.

Público Atendido:

Adolescentes (a partir dos 12 anos)
Adultos
Idosos

 

Referências
LEIA MAIS (link externo): Tratamento Psicológico Transformador – Jornal Diário do Nordeste 

BARRIOS.A. A. Hypnotherapy: a reappraisal. Phychoterapy: theory, research and pratice, 1970.
GINANDES, C. S.;  ROSENTHAL, D. I. Using hypnosis to accelerate the healing of  bone fractures: a randomized controlled pillot study. Alternative therapies in health medicine, v.5, n.3, p.67-75. 1999.
LANG, E. V; BENOTSCH, E. G; FICK, L. et all. Adjunctive non-pharmacological analgesia for invasive medical procedures: a randomised trial. The Lancet. Vol. 355(9214) 29 April 2000.
NASH. M. R. The Status of Hypnosis as an Empirically Validated Clinical Intervention: a preamble to the special issue. International Journal of clinical and Experimental Hypnosis, v.48, n.2, p.107-112. 2000.

Tags: Tratamento psicológico em Fortaleza, Analise funcional do comportamento, hipnoterapia, regressao de memoria, traumas, terapia breve, hipnose, hipnotismo, estudo, concentraçao, concurso, memoria, treinamento, cursos, formação em hipnose, formação em hipnoterapia , Fortaleza.

Share this Post