Leon Vasconcelos/ Janeiro 12, 2015/ Publicações

 

Os ratos de laboratório geralmente temem espaços abertos e estranhos, mas ter um companheiro ao seu lado faz com que os roedores se tornem mais destemidos, é o que mostrou uma pesquisa publicada na edição atual da Revista Cognição Animal.

Os pesquisadores acompanharam a exploração de ratos a uma área grande e desconhecida. Primeiro sozinho, dois dias depois, sozinhos ou acompanhado de um outro rato familiar.

Quando sozinhos, os ratos fizeram incursões hesitantes e curtas para o espaço aberto, antes de precipitadamente retornarem ao local conhecido. A ansiedade dos ratos solitários não diminuiu com a sua segunda exposição à área grande e desconhecida. Mas a adição de um segundo rato familiar, mesmo que o outro rato também nunca tivesse estado na nova área antes,  foi suficiente para motivar os dois a explorarem ativamente o recinto, cobrindo 50% a mais do espaço e sendo mais rápidos do que os ratos do grupo controle.

Explorar o ambiente com “o amigo” parece aumentar a sensação de segurança dos ratos permanentemente. Colocado na área de teste uma terceira vez, mas desta vez sozinho, os ratos socializados exploraram mais lugares novos do que anteriormente, enquanto os animais solitários continuaram a se acovardar.

A pesquisa pode indicar que para os animais comuns como ratos, e talvez para os humanos também, o laço de confiança em um amigo pode ser o melhor remédio para o medo.

Publicado em: Brain & Behavior, plantas & animais Animal Cognition
By  

Tradução e adaptação para Comportamento.Net
Leon Vasconcelos Lopes

Share this Post